Ronaldo Fleury é reconduzido à frente do MPT

O procurador-geral do Trabalho, Ronaldo Curado Fleury, foi reconduzido ao cargo por mais dois anos. No discurso de posse, em 3 de outubro, Fleury pontuou que, para os próximos dois anos, segue a luta por condições de trabalho cada vez melhores e pelo reconhecimento dos profissionais que dedicam a vida à missão do Ministério Público do Trabalho. Nos agradecimentos, o procurador-geral comprometeu-se com a gestão transparente e compartilhada com os procuradores-chefes. “Quando isso não ocorre, perdemos todos nós. Essa parceria foi decisiva para que chegássemos bem até aqui. Sou grato a todos que nos ajudaram a construir o melhor MPT possível! ”, pontuou.

Fleury teve a maioria dos votos (444) do Colégio de Procuradores em eleição realizada no dia 1º de agosto. A recondução foi assinada em 22 de agosto de 2017 por Rodrigo Janot.

Balanço. Na ocasião da assinatura da recondução, Fleury tornou público o relatório da gestão do biênio 2015/2017. Dentre as ações realizadas no período, o documento destaca: a implantação do MPT Digital Administrativo, a retomada de contratação de estagiários e a finalização da elaboração da Agenda Estratégica Nacional e das 23 Agendas Estratégicas Regionais. Além da criação da Assessoria Trabalhista na Procuradoria-Geral da República (PGR), com o objetivo de auxiliar o Procurador-Geral da República, a revisão dos Projetos Estratégicos nacionais e do reconhecimento internacional dos Observatórios Digitais do Trabalho Escravo e de Saúde e Segurança do Trabalho, criados em parceria com a Coordenadoria de Análise e Pesquisa de Informações do MPT (CAPI) e a Organização Internacional do Trabalho (OIT).

Trajetória. Subprocurador-geral do Trabalho desde 2010, Ronaldo Fleury entrou no Ministério Público do Trabalho (MPT) em 1993 e foi procurador regional do Trabalho por nove anos. Foi procurador-chefe da Procuradoria Regional no Distrito Federal e Tocantins (MPT-DF/TO) e coordenador nacional de Trabalho Portuário e Aquaviário (Conatpa) do MPT.  Em 2015, foi eleito para o primeiro mandato de procurador-geral do Trabalho. É também presidente do Conselho Superior do MPT.

Coautor de três livros de doutrina jurídica, artigos e pareceres publicados em periódicos e com participação em dezenas de palestras, seminários e cursos ministrados, Ronaldo Fleury tem, ainda, experiência acadêmica como professor universitário de Direito Coletivo do Trabalho.

Galeria de fotos da PGT

(Com informações da PGT)

 

 

 

Imprimir